Morte e Impermanência

por Mauricio Bastos

A vida é impermanente!
Esta é grande certeza, assim como a morte!
O ritmo deste pulso do respirar se altera o tempo todo…
Não temos controle…..

O fato de você estar aí de olhos abertos lendo este texto não significa que está parado realmente!

O ritmo dos órgãos internos, do batimento cardíaco, da circulação sanguinea, das células, dos músculos e tendões estão mudando o tempo todo.
Expansão -contração, sístole-diástole, tensão- relaxamento,
medo- amor….

Muita coisa está acontecendo aí dentro de você!

Sensações, sentimentos, pensamentos incessantes!
Só o que está morto não muda….

Observe as mudanças contínuas! A cada Inspiração nascemos, a cada expiração morremos…

O tempo todo acontecendo neste exato aqui e agora, dentro e fora de você!
Vivenciar as mudanças (morrer) é um caminho de luz!
Nos aproximamos da morte no momento de nosso nascimento.

Ao mesmo tempo, enquanto não acontece à nossa volta, parece que nunca vai acontecer..
Já diziam os sábios: Você não entra no mesmo rio duas vezes.

Pois você nunca é o mesmo… e o rio com suas águas em movimento também está mudando sempre..

A natureza nunca é a mesma, cada dia é um dia, cada nascer e pôr do Sol se diferem..
Basta ampliar a percepção.

A cada mudança nosso ego também se altera, e estar em mudança para o Ego é muito arriscado. Quem sou EU se mudar minhas ações e comportamentos?

O Ego não atua no presente, está sempre no passado ou futuro, buscando uma permanência ( segurança- controle) ilusória.
Se permitir viver no “agora” e receber esta dádiva de estar presente e vivo, é se permitir entrar em contato com a morte.

Ter a consciência que estamos caminhando para o término de uma jornada nesta vida é um caminho curador, pois à medida que trazemos mais atenção à morte, despertamos para o sagrado da vida!

Não entrar em contato com a morte, é não entrar em contato com a vida.
Ter aversão à morte é ter aversão a vida!

Medo da morte simboliza em algum grau o medo da vida!
Corremos tanto para lá e para cá, de alguma forma fugindo do “agora” e deste contato com a vida e com a morte!

O desejo incessante de “chegar lá” (onde você não é), te impede de se permitir estar “aqui” (onde você é) ………..

Você já é o que sua existência quer que você seja!
Pensar na morte e em sua inevitabilidade é pensar na vida e em sua vulnerabilidade e fragilidade.

Imagine quantos eventos aconteceram para você chegar aqui neste espaço, neste planeta, neste país, neste corpo, nesta família!
São milhares de mudanças até aqui….

Talvez milhares de encarnações!

Sua existência é única, sagrada! Você é único, sagrado.
Este momento é unico e sagrado!

Chegará o momento que faremos a última expiração e não mais iremos inspirar. Acontecerá a entrega maior, o momento da grande iluminação, onde nosso corpo e mente se dissolvem e o ego nos liberta.

Desenvolver a consciência desta passagem é um caminho bem sagrado!

Perguntinha: O que você faria se hoje fosse seu último dia?

Write a Reply or Comment

Your email address will not be published.